segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

O eleitor é mais poderoso que o que dizem



Abra o olho, eleitor! O período das "conversas bonitas" está chegando.
Muito lobo velho aparecerá com uma roupagem nova.


Não tenha medo, eleitor! Lembre-se que quem ocupa cargo público eletivo só ocupa porque você o colocou lá através dessa ferramenta, que é o voto. Entenda, eleitor, que candidato e parente de candidato são iguais a você diante da lei, tendo os mesmos direitos e os mesmos deveres. Amanhã, estando o indivíduo eleito e empossado no cargo, o fato de cumprir os compromissos e ser fiscalizado é apenas rotina que ele, representante do povo (de ti, inclusive), precisa humilde e diligentemente aceitar. E os parentes dele não têm que reclamar de nada, pois parente de gestor ou de vereador não é designação especial de coisa alguma.
Um dos problemas que vemos na gestão da coisa pública é a presença de parentes e amigos dos gestores ou dos parlamentares ocupando cargos. E isso onde o único critério utilizado na escolha foi o grau de parentesco ou de amizade. Enquanto muita gente com real preparo fica de fora e perde a oportunidade de realizar coisas interessantes pelo município, parentes e amigos dos gestores ou dos vereadores ocupam cargos importantes e ganham bons salários. Certos parentes e amigos chegam ao delírio de acreditar que estão nos cargos em virtude do reconhecimento de uma competência que jamais possuíram! Pasmem.
E é você, eleitor, que, mesmo indiretamente, ajuda a colocar essas pessoas nesses cargos. Sabe por quê? Por que você não questiona os candidatos no momento adequado, ou seja, quando eles são apenas candidatos, pois depois de eleitos não tem mais jeito: você vai ter de agüentar até a sogra dos caras.
Por isso, no período da campanha eleitoral, exija que os candidatos assumam o compromisso de evitar o uso de critérios familiares, pessoais na escolha de pessoas para os cargos públicos. Afinal, prefeituras e câmaras municipais não são empresas particulares de seu ninguém.
Em 2012, teremos a oportunidade de corrigir uma série de esquisitices e fornecer aos nossos municípios uma situação diferente. Você, eleitor, tem nas mãos o poder de fazer acontecer de verdade. No fundo, você sabe disso. Não se intimide se aparecer gente falando alto e ousando aplicar lição de moral, pois isso é bravata. A realidade é que quem se arde é porque não quer largar o osso. Basta observarmos o padrão de vida de certas pessoas e compreenderemos o porquê delas ficarem desajustadas e se mostrarem muito desesperadas nesse período que antecede as eleições. Elas sentem que o eleitor (você) pode retirá-las do luxo! Faça isso: retire. Anote os nomes aí e aguarde o dia da votação.
Só você, eleitor, pode retirar esse luxo dessas mãos alheias. Esse luxo ― o que o bem público oferece ― só existe por causa de você, meu caro eleitor! Você é quem banca toda essa riqueza. E você deve ser o beneficiário máximo (único) disso. Acredite!
E antes que eu esqueça, eis um assunto do interesse geral: você aí sabe o que é assédio moral? Não? Então acesse:

 
- Assédio Moral – Ministério do Trabalho

- Assédio Moral - Wikipedia

- Assédio Moral – Um Site




Nenhum comentário:

Postar um comentário

MANDE O SEU COMENTÁRIO!

O BLOG DO PROFESSOR ODEMAR MENDES não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. Se você se sentir ofendido pelo conteúdo de algum comentário dirigido a sua pessoa, entre em contato conosco pelo e-mail odemarmendes@hotmail.com