domingo, 26 de agosto de 2012

A INTERNET SEMPRE AJUDA? OU PODE, ÀS VEZES, ATRAPALHAR?



A internet representa uma das maiores inovações da/na vida humana no planeta. Mas, também é verdade que a mesma tem um lado negativo, pois desvia a atenção das pessoas, rouba-lhes tempo, deconcentra crianças e adolescentes, distrai quem lhe acessa. Até porque tem um caráter de distração, de lazer que é, por sua natureza, ágil, veloz, sintético, atraente.
O tempo que uma pessoa antes dedicava a alguma atividade livre está direcionado hoje para a internet, onde é supostamente possível realizar tudo, de conseguir amigos e namorada(o) a promover campanhas a favor ou contra qualquer coisa.
Para mim e para pessoas da minha idade ou mais, a rua e os demais espaços urbanos (na verdade, espaços não caseiros, até rurais mesmo e não simplesmente urbanos) foram o nosso cotidiano e fontes ricas de vivências importantíssimas, pois eram reais, simples, naturais o tanto que podiam, prontos para a nossa criatividade. Nem a televisão conseguia nos roubar tanto tempo, pois as nossas brincadeiras eram até mais divertidas porque divertido era ter amigos reais e situações reais, despertando cada sensação e cada curiosidade.
Éramos crianças (meninos e meninas) numa cultura onde o mundo adulto ficava longe em termos de tempo, o que dava para nós uma infância e uma adolescência mais longas e mais livres dos condicionamentos da burocrática vida adulta.
Hoje, para nós mais velhos a internet é apenas um recurso e não a vida, ela mesma. Para as gerações mais novas, a internet é muitas vezes o recurso máximo de sociabilidade, pois “lá fora” tem trânsito ruim, gente louca, droga, crime de todo tipo e isso não deixa de ser verdade. As crianças e os adolescentes de hoje estão, em muitas situações, alijados de uma sociabilidade mais liberta, pois hoje a máquina urbana tem um formato em que o ser humano é mais seu escravo, mesmo que isso seja num interior como esse nosso município.
Nessa nova rotina, o tempo é ouro e os escravos os produtores de mais riqueza para o monstro central: os negócios da cidade. A internet está circunscrita nesse contexto. Ela é cria e criadora desse mundo, embora tenha o seu lado muito positivo, lúdico, etc.
E, para fecharmos sobre um tema só, até que ponto a internet ajuda ou dificulta a criação de leitores? Em primeiro lugar, a internet, como investimento na palavra (ler e digitar), representa uma força dinamizadora e estimuladora do hábito da leitura. Mas ela mesma também representa o nascimento de um tipo de leitor que toma gosto por assuntos picotados, fragmentados, superficiais, excessivamente “jornalísticos”, “casuais”, “frívolos”, sem o aprofundamento e a densidade que os livros dão. Como democrático espaço de encontro, de troca, de criatividade, ela é positiva. Mas essa positividade se transforma em seu contrário para os que lhe tomam como substituto dos livros tanto quanto de outras atividades. E por mais que o mundo tenha se transformado, nós, sob pena de sérios danos, não podemos suprimir os livros do nosso cotidiano.
A leitura de livros, jornais impressos, revistas e outras fontes é essencial até para colocarmos nosso pensamentos e o nosso sentimento num ritmo de mais demora, uma demora que o corpo precisa, que a cabeça precisa para se sentir bem e produzir melhor.

Porém, ninguém tome esse meu relato por um discurso contra a internet, ainda mais que a estou utilizando. Entenda-se aqui que desejo enfatizar o que pra mim é uma verdade: não podemos ser escravos da World Wide Web em detrimento de outras vivências, especialmente as que são praticadas com o uso mais amplo do corpo.
Meu alerta é no sentido de termos urgentemente uma educação mais humanizadora sobre o impacto dessas novas tecnologias, dos positivos aos negativos. Se não soubermos dosar as necessidades e os usos, poderemos estar criando uma nova e refinada forma de prisão e de alienação.


FONTE - O ARAIBU

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MANDE O SEU COMENTÁRIO!

O BLOG DO PROFESSOR ODEMAR MENDES não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. Se você se sentir ofendido pelo conteúdo de algum comentário dirigido a sua pessoa, entre em contato conosco pelo e-mail odemarmendes@hotmail.com