sábado, 10 de novembro de 2012

Frevo Mulher - Amelinha



Quantos aqui ouvem os olhos eram de fé


Quantos elementos amam aquela mulher

Quantos homens eram inverno e outros verão

Outonos caindo secos no solo da minha mão

Gemeram entre cabeças a ponta do esporão

A folha do não me toque e o medo da solidão

Veneno meu companheiro desatado cantador

E desemboca no primeiro açude do meu amor

É quando o tempo sacode a cabeleira

A trança toda vermelha

Um olho cego vagueia

Procurando por um (2x)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MANDE O SEU COMENTÁRIO!

O BLOG DO PROFESSOR ODEMAR MENDES não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. Se você se sentir ofendido pelo conteúdo de algum comentário dirigido a sua pessoa, entre em contato conosco pelo e-mail odemarmendes@hotmail.com