terça-feira, 21 de maio de 2013

Sintep apresenta reivindicações da classe aos vereadores de Diamantino

 
A presidente da Subsede do Sintep (Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso), professora  Luiza Fátima Duarte apresentou aos vereadores da Câmara Municipal de Diamantino toda a legislação pertinente à criação do piso nacional e sua extensão ao Município.
 
A reunião, realizada no Plenário Vereador Juvenal Benedicto Soares foi proveitosa e serviu para esclarecer alguns pontos obscuros da legislação e outros, na legislação municipal que precisam passar por alteração e adequação, na ótica do Sintep.
 
Atualmente, a principal reivindicação do Sintep é o enquadramento do Município ao piso nacional. Em Diamantino, os profissionais da educação recebem R$ 1.348,47; valor este inferior à remuneração da classe, no Estado. Segundo presidente da Câmara, vereador Carlinhos Gaino, a Casa vai se comprometer com a categoria, no sentido que o Executivo atenda à lei, pois a qualidade do ensino depende também da remuneração dos professores e dos demais profissionais da educação, no Município.
 
A presidente do Sintep lembrou dos avanços, como a jornada de 30 horas semanais e a hora atividade, mas salientou que este beneficio não contempla os contratados. Outra discussão que ficou aberta foi à jornada dos motoristas, de 40 horas, considerado acima do recomendado, segundo o Sintep e as tabelas que enquadram o técnico de desenvolvimento infantil e monitor educacional, que não permitem o crescimento do profissional na carreira, questionou a professora Luiza. 
 
Os vereadores presentes opinaram, questionaram e apresentaram propostas de melhoria do ensino em Diamantino. Também ficaram sabendo sobre as novidades para o setor, como investimentos públicos e os meios de acessos às verbas.
 
Foi esclarecido que em algumas escolas existem lista de esperas de crianças, aguardando vagas na educação infantil. O professor Odemar Mendes, diretor da Escola Elza Martins reclamou do valor do repasse [R$ 1.400,00], feito pela Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Educação. A quantia não é suficiente para cobrir as despesas, pois o repasse só acontece no mês de março, atingindo 10 parcelas ao ano. Um mês uma parte da dívida da Escola é quitada e a outra, fica para o mês seguinte, porque o dinheiro é insuficiente para atender as despesas, disse o professor.
Outra reclamação foi à falta de inclusão de todas as informações da educação no sistema do Município, a precariedade da internet e a disponibilidade da folha de pagamento em cada unidade escolar, como atendimento ao principio da transparência.
 
O presidente da Câmara se incumbiu de transferir para o prefeito municipal as reivindicações da classe, para o aprimoramento do ensino em Diamantino e a finalização do Plano Municipal de Educação, cujo conteúdo vai englobar todas as políticas locais voltadas para a educação, em Diamantino.
 
A reunião foi solicitada pelo vereador Edilson Mota Sampaio. Participaram do evento, os dirigentes do Sintep, o presidente, vereador Carlinhos Gaino; o vice-presidente, vereador Edson da Silva (Giripoca); o secretário Natalino da Silva Barros,  a vereadora Gislene Aparecida de Souza (Gisa) e os vereadores Edílson Mota Sampaio; Jozenil Costa Lube (Bodão); Manoel Loureiro Neto e Márcio Mendes.    
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

MANDE O SEU COMENTÁRIO!

O BLOG DO PROFESSOR ODEMAR MENDES não se responsabiliza pelos comentários aqui postados. Se você se sentir ofendido pelo conteúdo de algum comentário dirigido a sua pessoa, entre em contato conosco pelo e-mail odemarmendes@hotmail.com